Todos os posts (133)

Classificar por

      O Capacitar Condominial é um novo conceito em ensino Condominial do Brasil. Oferece o melhor "Programa Multidisciplinar de Aperfeiçoamento e Especialização Profissional para síndicos e colaboradores de condomínio" está hoje, com vagas em muitos cursos, treinamentos e conta com exercícios práticos, material didático, aulas bônus, avaliação, acompanhamento permanente do aluno e há opções nas seguintes áreas: Gestão Condominial, Gerência Condominial, Zelador, Porteiro eAgente de Serviços Gerais.

      O Capacitar Condominial conta com instrutores especialistas, habilitados e com proficiência, com experiência de mais de 1.000 horas de capacitação e treinamentos realizados e tendo como diferencial, adequar nossos cursos e treinamentos de
acordo com cada ramo de atuação de nossos alunos, para maior aproveitamento dos colaboradores, com foco na qualidade e normas técnicas.

      Abaixo alguns exemplos de nossos Cursos e Treinamentos.

      Cursos:

  • Gestão Condominial
  • Gerência Condominial
  • Zelador
  • Porteiro
  • Agente de Serviços Gerais

      Treinamentos:

  • Informática Básica
  • Primeiros Socorros
  • Brigada de Incêndio
  • Manutenção Básica e Serviços em Eletricidade
  • Operador de Máquinas e Equipamentos Condominiais
  • Trabalho em Altura
  • E muito mais

      Para outros Cursos e treinamentos, consulte nosso
departamento comercial.

      Contatos: fixo 62 3594-1790/ WhatsApp: 62 98346-6965 / 62 99141-1003.

      E-mail: escolacondominial@gmail.com

      Website: www.condominialnews.com.br

Condominial News 

Saiba mais…

      Pandemia altera a rotina de residenciais como a Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz, onde, no início do ano, cerca de 200 casas estavam sendo construídas.

      No início do ano, o excesso de veículos levando e trazendo material de construção chegou a perturbar a tranquilidade da Fazenda Boa Vista, um condomínio de super-ricos na área verde de Porto Feliz, a 100 quilômetros de São Paulo. Cerca de 200 mansões estavam sendo feitas ao mesmo tempo no residencial, que mede oito vezes o Parque Ibirapuera. Nos fins de tarde, os carros de serviço formavam longas filas nos portões de saída, onde são revistados.

      “As ruas internas começaram a lotar de uma maneira surreal, tinha trânsito de caminhões. Quase fui atropelada”, conta a influencer digital Luara Costa Napoli, 27, que decidiu alugar a casa que comprou ali e se mudar para a Colônia Helvétia, em Indaiatuba, junto do marido Augusto Napoli, 29.

      Desde o início da pandemia, os condomínios de altíssimo luxo ao redor da capital vivem um boom imobiliário sem precedente. Na Boa Vista, apontada como o pedaço de terra mais quente desse mercado, o metro quadrado de terreno saltou de 700 reais no começo do ano passado para 2 200 agora — e os menores lotes medem 3 000 metros quadrados, ou seja, não se consegue um espacinho no loteamento por menos de 6,6 milhões de reais.

      “Não são apenas anúncios, mas valores dos negócios fechados”, diz Renata Firpo, uma badalada corretora da região. “Tem gente pedindo 3 500 pelo metro quadrado”, ela afirma. As casas mais “baratas” do pedaço, um conjunto de projetos idênticos de 350 metros quadrados de área construída à beira de um lago, subiram de 4,5 milhões para 9 milhões de reais. Ou seja, custam por volta de 25 000 o metro quadrado, acima da média dos bairros mais caros de São Paulo e Rio de Janeiro, que é de 20 600 reais na Cidade Jardim e 21 500 reais no Leblon. (Na Cidade Jardim, por sinal, o valor caiu 9,4% em doze meses.)

      Entre as opções mais caras, destaca-se uma estância arrematada recentemente pela família Batista, da J&F, por 53 milhões de reais. Ao todo, a incorporadora JHSF vendeu 849 milhões de reais em terrenos e imóveis na Boa Vista em 2020; no ano anterior, tinha faturado um quarto disso. (O montante não inclui propriedades revendidas por terceiros.)

      Nos primeiros meses deste ano, o ritmo seguiu aquecido. “A maioria dos clientes vem de São Paulo. Tem advogados, empresários, mercado financeiro… Se pegar a lista de bilionários da (revista) Forbes, uma grande quantidade deles — não posso dizer que sejam todos — tem algum vínculo com a Boa Vista”, diz Thiago Alonso de Oliveira, CEO da JHSF.

      Embora o loteamento não disponha do mar do Leblon ou dos serviços dos Jardins, tem outros predicados que explicam a concentração de bilionários talvez inédita no país. Os diferenciais de maior sucesso, segundo quem conhece bem a turma, são o altíssimo nível de segurança e de vizinhança. “Sua mulher sai para caminhar de manhã com a esposa do dono do seu banco”, exemplifica um dos mais antigos proprietários, que pediu anonimato — ele paga quase 6 000 reais por mês apenas de condomínio.

      Também ajuda, claro, o serviço de primeiríssima linha à disposição dos frequentadores. Há, por exemplo, um Hotel Fasano dentro dos domínios da Boa Vista — já quase sem vagas nos próximos dois meses —, que entrega refeições e até arruma a cama das casas do condomínio, ou organiza piqueniques para os moradores. Em um dia normal, personalidades como o jogador Kaká ou o piloto Felipe Massa relaxam na piscina da hospedagem, em frente a um campo de golfe.

      “Quando você tem uma conta bancária ilimitada, procura lugares onde não se sinta deslocado”, diz Constantino Bittencourt, sócio-diretor do Grupo Fasano, para explicar o interesse de tantos ricaços pelo empreendimento. Até o aplicativo de pedir comida é exclusivo: o CJ Food, criado na pandemia apenas com restaurantes de alto padrão que passaram a atender o residencial.

      Para garantir o home office, os proprietários contam com a maior rede de fibra óptica privada do país, com mais de 120 quilômetros de extensão. “O excesso de pessoas fez o wi-fi ficar sobrecarregado no início da quarentena, mas agora melhorou e dá para trabalhar tranquilo”, diz a empresária Ligia Danesi, 55, proprietária local. O aeroporto executivo quase vizinho, o Catarina, também construído pela JHSF e cuja pista supera a de Congonhas em tamanho, deve ampliar novamente a capacidade dos hangares para abrigar a profusão de jatinhos. “Os moradores passaram a pedir mais espaço. Subimos de dois para cinco hangares, mas estamos estudando fazer outros dois”, diz Oliveira.

      Poder atravessar a pandemia nesse sossego, claro, tem sido o principal apelo para as vendas. “Antes, os endinheirados que podiam ir à Europa no fim de semana não viam graça em comprar uma casa no interior. As restrições sanitárias mudaram essa concepção”, diz Danilo Igliori, economista da DataZap. “A demanda cresceu, mas a oferta de condomínios de luxo é pequena e não se expande rapidamente, daí a alta abrupta dos preços”, ele afirma.

      O mesmo fenômeno acontece em outros residenciais cinco-estrelas do interior. Na Quinta da Baroneza, pioneira no segmento, o valor dos terrenos subiu de 750 para 2 000 reais o metro quadrado. No Haras Larissa, especializado em atividades hípicas, o valor médio saltou de 600 para 1 800 reais. Na Praia da Grama, um lançamento mais recente que terá uma piscina de surfe, os negócios emplacaram de vez na pandemia. O cenário se repete no próprio Boa Vista Village, uma extensão da Fazenda Boa Vista com preços um pouco menores (os proprietários da Boa Vista poderão frequentar o novo empreendimento, que também terá piscina de ondas, mas o inverso não será permitido.) Em 2020, a JHSF vendeu 298 milhões de reais no projeto, lançado em 2019.

      Os juros baixos e as incertezas do país ajudam a explicar por que esse nicho exibe números tão pujantes — mesmo em meio à severa crise econômica que obriga 27 milhões de brasileiros a viver com menos de 246 reais por mês. “O dinheiro dos ricos passou a render pouco nas aplicações, e os imóveis são sempre um porto seguro nas turbulências”, diz Igliori. “Acredito que os preços desses residenciais podem baixar no médio prazo. A valorização está bastante ligada à pandemia”, ele afirma.

      De fato, quem passou a quarentena no paraíso privado de Porto Feliz não reclama das altas cifras. “A região tem uma energia boa. Chove pouco e o pôr do sol é maravilhoso”, diz a empresária Deborah Quintela, 50, que morou por seis meses na Boa Vista e agora alterna a rotina com períodos na capital. “A família pôde se divertir junta, em atividades como o beach tennis”, ela celebra.

      No litoral paulista, a onda do dinheiro graúdo também atingiu os residenciais luxuosos. Nos condomínios do norte do Guarujá (São Pedro, Iporanga, Tijucopava e Taguaíba), onde as casas mais caras já passavam de 50 milhões de reais, a valorização média foi de 30%. Corretores tradicionais da região afirmam ter alcançado o melhor faturamento da história durante a pandemia. As casas mais baratas, de cerca de 300 metros quadrados e longe da orla, foram de 2,5 milhões para 4 milhões de reais. Em São Sebastião, os residenciais da Praia da Baleia tiveram valorização semelhante.

      “Em comum, são todos locais fechados. Os paulistanos se importam muito com segurança”, diz Caio Augusto Gomes, que vende mansões no residencial Costa do Sol, na Praia de Guaratuba. “Aqui existe um rio de cada lado da praia. Você realmente só entra na areia se passar pelas cancelas de segurança do condomínio. Faz muito sucesso entre a clientela”, ele conta.

      Por trás dos muros altos dos supercondomínios, a paz parece mesmo só ser perturbada por eventuais caminhões de obras. Ou, bem, pelos onipresentes carrinhos de golfe, uma moda na Fazenda Boa Vista. Cheia de regras próprias de trânsito (há radares internos e multas para quem ultrapassar 30 quilômetros por hora), a localidade proíbe que adolescentes dirijam os pequenos veículos, o que nem sempre é cumprido à risca.

      “Muita gente passou a alugar casas aqui nos últimos meses. Quem aluga, diferentemente dos proprietários, tende a seguir menos as regras — e aconteceram alguns acidentes”, conta o antigo morador. Os aborrecimentos, porém, não parecem ofuscar os privilégios locais. “A saudade do agito da capital não supera a vantagem de viver longe das aglomerações”, diz a empresária Ligia. “Na Boa Vista, não precisamos ficar com essas ‘escravidões’ da pandemia o tempo todo”, conclui.

      Fonte: Veja São Paulo

Condominial News 

Saiba mais…

     Os condomínios residenciais e comerciais devem estar atentos ao cumprimento das regras previstas pela legislação brasileira para evitar acidentes de trabalho ou risco de doenças que podem acometer zeladores, porteiros, faxineiros e garagistas no exercício de suas funções.

     O responsável pelo condomínio é responsável pelo cumprimento das Normas Regulamentadoras de Segurança do Trabalho dos Colaboradores do Condomínio, empregados ou terceirizados.

     Saiba mais sobre algumas delas:

     Obrigatoriedade do EPI

     O EPI (Equipamento de Proteção Individual), como botas, luvas, máscaras, óculos de proteção e outros, deve ser fornecido pelo condomínio aos funcionários e é de uso obrigatório. O fornecimento dos equipamentos deve ser registrado em um documento chamado ficha de EPI.

     Saúde Ocupacional

     O condomínio é obrigado a elaborar e manter atualizado o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). Trata-se de um documento que dados e informações importantes sobre a saúde dos trabalhadores e deve ser assinado por um médico do trabalho.

     Prevenção de Riscos Ambientais

     O condomínio é obrigado a elaborar e manter atualizado o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais). Trata-se de um documento sobre os riscos existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, ou seja, aqueles existentes na área do condomínio.

     Instalações Elétricas

     Os trabalhadores de instalações elétricas energizadas (eletricistas, ajudantes e demais pessoas que trabalham com energia elétrica) devem receber treinamento específico para essa atividade e podem, inclusive, ter direito ao adicional de periculosidade.

     Carga, Descarga e Armazenamento

     Os trabalhadores devem receber treinamento apropriado para lidar com carga, descarga e armazenamento de materiais que possam vir a causar algum dano à saúde e segurança dos mesmos. Exemplos: carga e descarga de materiais, armazenamento de materiais perigosos e outros.

     Procedimentos Obrigatórios

     O condomínio deve estabelecer procedimentos obrigatórios relacionados às máquinas e equipamentos. São eles:

     – Piso correto;

     – Áreas de circulação;

     – Dispositivos de partida e parada das máquinas;

     – Normas sobre proteção de máquinas;

     – Procedimentos de manutenção e operação;

     – Treinamento dos colaboradores;

     – Fornecimento de Epi’s adequados e registro na ficha de Epi.

     Exemplos: Conjuntos moto-bomba, geradores de energia, máquinas de corte, máquinas de limpeza e outros.

     Adicional de Insalubridade

     Pessoas que lidam com limpeza de locais como banheiros e garagens podem ter direito ao adicional de insalubridade e tal condição pode ser comprovada com laudo de inspeção do local de trabalho.

     Exemplos de agentes causadores de ambiente insalubre: ruído, calor, frio, umidade, agentes biológicos e outros.

     Condições de Ergonomia

     Existem condições de trabalho ligadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar máximo conforto, segurança e desempenho eficiente das atividades laborais, e que essas condições estão ligadas à ergonomia dos postos de trabalho e podem ser inspecionadas e registradas em documento próprio por um profissional de segurança do trabalho.

     Exemplos: Cadeiras de escritório, luminosidade das salas, material utilizado na limpeza e manutenção e outros.

     Sistemas Preventivos

     Existem procedimentos obrigatórios de segurança do trabalho que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho nas obras/construções que o condomínio venha a executar.

     Esses procedimentos podem ser elaborados e monitorados por um profissional de segurança do trabalho.

     Exemplo: Reformas da área comum, manutenção de fachadas, serviços que envolvem trabalho em altura e outros.

    Inspeções

    Um profissional de segurança do trabalho pode realizar inspeções no seu condomínio e detectar situações que necessitem de melhorias, como:

     – Sistemas de proteção e combate ao incêndio;

     – Condições sanitárias e de conforto de locais como vestiários, refeitórios, gabinetes sanitários etc;

     – Formas de descarte e manuseio de resíduos industriais, orgânicos ou inorgânicos;

     – Sinalização de segurança do trabalho no condomínio e seus locais de aplicação.

     Campanhas

     O Movimento Maio Amarelo tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo e a Campanha Nacional Rompendo Silêncio no dia 06 de maio de 2021 às 20hr irá abordar no Debate Condominial com especialistas afim de conscientizar os gestores de condomínios quanto aos riscos de negligência referente às suas responsabilidades e a importância da prevenção de acidentes e os riscos à saúde dos seus colaboradores no exercício de suas funções, o tema da Campanha Nacional Rompendo Silêncio de 2021 é "Condomínio sem Violência" para Edilson Cardoso Idealizador da campanha Multidisciplinar Rompendo Silêncio o objetivo é conscientizar e capacitar gestores e colaboradores para prevenção do próprio gestor em relação a sua responsabilização por negligência de suas respectivas responsabilidades e diminuir por meio da prevenção o número de acidentes e riscos à saúde principalmente de quem trabalha na linha de frente nesse período de pandemia.

Condominial News

Saiba mais…

     Em 2021, o tema principal é "Condomínio sem Violência".

     Chamar a sociedade condominial a refletir. Esse é o foco da mobilização da campanha Rompendo Silêncio de 2021, movimento nacional de conscientização e prevenção para redução de conflitos e violência em condomínio, a campanha foi lançada oficialmente no país em 2019 no 1° evento Amigos do Condomínio em Goiânia-GO, e na última quinta-feira (28/04), foi exibido o primeiro Debate com o tema de 2021 “Condomínio sem Violência".

     Com as ações coordenadas pelo Condominial News, ligado ao Programa Multidisciplinar de Aperfeiçoamento e Especialização Profissional de Síndicos e Colaboradores de Condomínio – Capacitar Condominial, em parceria com embaixadores da campanha, síndicos e suas equipes.

     A mobilização alertará, por exemplo, para a necessidade de atitudes preventivas

     Neste ano, a mobilização pelo condomínio sem Violência terá forte ação nas redes sociais e eventos em formato virtual.

     O isolamento social em decorrência da pandemia da Covid-19 intensificou um problema que afeta drasticamente as mulheres, a violência doméstica e psicológica, que teve o número de casos triplicado no Brasil. A casa, que é sinônimo de abrigo e segurança neste período, tornou-se um local inseguro para as mulheres, vítimas de violência por parte dos seus companheiros. Nos condomínios não é diferente, os conflitos de toda ordem aumentaram e a violência contra a mulher está neste contexto, o condomínio é considerado uma turbina geradora de conflitos por conta das diferenças e culturas das pessoas que ali vivem, entre os casos de violência outro problema que vem ganhando destaque são conflitos envolvendo moradores, colaboradores e até mesmo síndicos, assunto que será debatido durante a Campanha Rompendo Silêncio de 2021.

     A proposta é dá um basta em qualquer tipo de violência dentro dos condomínios, evitando os conflitos antes mesmo que aconteça e para isso conclama gestores, síndicos, colaboradores e todo público condominial a se engajarem nesta luta. O papel da campanha nacional Rompendo Silêncio é inserir os condomínios na luta contra a violência e provocar este engajamento, visando incentivar e capacitar a linha de frente dos condomínios para que desenvolva habilidades e saiba lidar, administrar com sabedoria cada conflito de forma preventiva. “A Campanha Rompendo Silêncio tornou-se uma ferramenta indispensável de mobilização social e de capacitação, tornando os agentes eficazes na prevenção de conflitos e violência em condomínio. Serve para alertar tanto os síndicos e suas equipes de colaboradores quanto os condôminos”, explica o idealizador e CEO do Condominial News, Edilson Cardoso. 

     A campanha é Multidisciplinar e é a voz de alerta para abertura de debates sobre todas os temas relacionados, conscientização e educação do público e troca de experiência entre as pessoas. Além disso, reflete no cuidado com a saúde sossego e a segurança no dia a dia da população que vivem ou trabalham em condomínios. Acesse o link para assistir o programa na integra: https://youtu.be/XTDqIsgtJNg

Condominial News

Saiba mais…

     O Programa de Aperfeiçoamento e Especialização para Síndicos e Equipes de Condomínio, o Capacitar Condominial, está realizando inscrições para os cursos de:
✔️ Gestão Condominial
✔️ Gerência Condominial
✔️ Zeladoria Condominial
✔️ Portaria Condominial
✔️ Agente de Serviços Gerais

     📌 Com condições facilitadas para pagamento.

     Os contatos para informações são:
(62) 3594-1790
(62) 99141-1003
(62) 98346-6965
     ou pelo e-mail: escolacondominial@gmail.com.

     Os cursos são voltados para quem já atua no mercado ou pretende ingressar e serão ministrados por uma equipe de especialistas, treinados dentro da mesma metodologia, que vivem na prática o que ensinam. “O Capacitar Condominial traz um novo conceito de capacitação para a nova geração de especialistas em condomínios”, ressalta o diretor Edilson Cardoso.

     Quanto às aulas serão vídeos presenciais por meio do aplicativo Zoom, podendo ser acompanhadas tanto pelo celular quanto pelo computador. Todo material, como apostilha será enviado ao e-mail do aluno. Mais informações sobre metodologia, grade curricular de cada curso, professores e proposta do Capacitar Condominial News serão enviados após a realização da inscrição.

     Inscreva-se: https://docs.google.com/forms/d/1NTGC0G6_880hYu6ha53hdXxVhKG-N4_OUVy380ai5ZU/

Condominial News

Saiba mais…

      Decreto que tem validade até o dia 11 de maio trouxe algumas mudanças para o funcionamento das atividades econômicas em Goiânia e também autoriza o funcionamento dos espaços comuns de condomínios horizontais e verticais. O agendamento destes locais deve ser realizado com antecedência, e o condomínio precisa seguir algumas restrições, entre elas manter o distanciamento social de 2,25m² por pessoa.

      Conforme já foi noticiado pelo Condominial News, obras estão liberadas desde que sigam o Regimento Interno do Condomínio. Quanto a realização de assembleias o recomendado é que sejam virtuais, podendo também ser presenciais, contudo é preciso respeitar os protocolos e as notas técnicas dos órgãos competentes. Em qualquer situação, use máscara, álcool em gel e mantenha o distanciamento social.

      Previna-se! Se puder, evite sair de casa e aglomeração.

Condominial News 

Saiba mais…

     A Polícia Civil (PC) cumpriu, na manhã desta quinta-feira (29), um mandado de busca e apreensão no apartamento do homem suspeito de injúria racial contra uma porteira de um edifício do Jardim Goiás, em Goiânia. A porta do apartamento precisou ser arrombada. O morador Vinícius Silva Pereira foi flagrado em vídeo chamando a funcionária de "macaca" no domingo (18).

     A operação tem apoio da Polícia Civil do Mato Grosso, onde agentes também cumprem mandado em propriedade do suspeito situada no município de Cocalinho.

     Em Goiânia, policiais encontraram e apreenderam quatro armas de fogo. Na residência, estavam apenas filha e sogra do homem, que confirmaram a propriedade das armas por parte do investigado.

     O delegado Gil Bathaus informou à reportagem que a equipe está checando a situação das armas apreendidas. Caso sejam irregulares, o morador deverá ser preso em flagrante pela eventual posse ilegal.

     Relembre

     De acordo com vizinhos e a própria esposa do suspeito, em mensagens de grupo de moradores na internet, Vinícius também defecou no elevador do edifício no mesmo dia em que realizou as ofensas. Ele teria ficado irritado porque a funcionária cumpriu protocolo de segurança ao exigir que se identificasse para adentrar o condomínio.

     A porteira, contou que se sentiu humilhada ao ser chamada de 'macaca' pelo morador do prédio em que trabalha há oito meses. Segundo ela, as agressões verbais iniciaram antes dela começar a gravar o vídeo. ”Ele já havia me xingado muito anteriormente. Então resolvi gravar [o vídeo] para me resguardar”, relata.

Fonte: Mais Goiás

     Infelizmente isso acontece e muitos nem relatam, denunciam por medo, por isso a campanha Rompendo Silêncio tem como tema esse ano “Condomínio Sem Violência”, hoje as 20:00 hr temos um encontro ao vivo no nosso canal do Condominial News onde abordaremos sobre o assunto.

     Não fique de fora! Acesse o link:  https://www.youtube.com/watch?v=XTDqIsgtJNg&feature=youtu.be

Condominial News

Saiba mais…

     Certamente você já ouviu falar na campanha Rompendo Silêncio. Mas provavelmente você não sabe como surgiu essa campanha e qual o objetivo dela.

     A Campanha Multidisciplinar "Rompendo Silêncio" surgiu com o objetivo de conscientizar a população condominial, da necessidade de incentivar e capacitar síndicos e funcionários de condomínios no desenvolvimento de suas habilidades para fazer uso das boas práticas na prevenção contra qualquer tipo de violência praticado em condomínio.

     O mais importante para que a campanha "Rompendo Silêncio" seja realmente adotada pelos gestores, colaboradores e moradores é a divulgação.

     A realização é anual e acontece através das redes sociais do canal Condominial News, que é a voz de alerta tanto para prevenção, quanto para abertura de debates sobre todas os temas abordados, conscientização e educação do público, troca de experiência entre as pessoas. Ou seja, reflete no cuidado com a saúde sossego e a segurança no dia a dia da população condominial.

     O idealizador da campanha Rompendo Silêncio e CEO do Condominial News, Edilson Cardoso, acredita na força dessas ações: “De um tempo para cá, elas têm se tornado muito importantes, principalmente quando se trata da capacitação do síndico e equipe de funcionários tornando-se agentes eficazes de prevenção de conflitos e violência em condomínio. E serve para alertar tanto os síndicos e sua equipe quanto os condôminos. Acredito também que com o tempo a campanha Rompendo Silêncio irá tomar a mesma proporção das grandes campanhas do Brasil ”. Acrescenta Edilson.

     “A relevância e a necessidade dos síndicos e suas equipes abraçar a campanha, se capacitar e promover ações com os moradores por meio dos canais de comunicação é imprescindível”. Alerta Edilson Cardoso.

     A cada ano a campanha nacional Rompendo Silêncio traz um tema diferente. Você sabe quais são os temas anteriores? Não? Então você não pode perder o "Debate Condominial" com especialistas do Capacitar Condominial e convidados do dia 29/05/2021, na oportunidade o programa Condominial News Nacional fará o lançamento do tema da Campanha Rompendo Silêncio Condomínio sem Violência de 2021, as 20:00hr, ao vivo. Acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=XTDqIsgtJNg&feature=youtu.be

     #condominialnews

     #rompendosilencio

     #amigosdocondominio

     #naoaviolenciaemcondominio

    #condominiosemviolencia

Condominial News

Saiba mais…

     Ao lado de vários advogados do seu escritório de advocacia, o presidente da Comissão Especial de Direito Condominial OAB-GO, Dr. Caio César Mota, prestou homenagem ao consagrado jurista brasileiro, Sylvio Capanema, que faleceu em 20 de junho de 2020, por complicações de Covid-19, após três meses de internação num hospital, no Rio de Janeiro.  Ele teve atuação de destaque como advogado, professor e especialista em Direito Imobiliário, sendo o autor da Lei do Inquilinato. Foi também vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

     Em vídeo, o grupo de advogados enalteceu o trabalho de Sylvio Capanema que esteve, inclusive, participando do Momento Jurídico do dia 01/04/2020, com a apresentação de Caio César Mota. Juntos a outros convidados, o jurista debateu o tema “Coronavírus nos Condomínios”.

     Já em nota, enviada à redação do Condominial News, Mota fez referência ao dia em que conheceu Capanema, ocasião do Congresso do Instituto Brasileiro de Direito Imobiliário (Ibradim), em 2018, onde pode acompanhar o discurso do mesmo e que considerou emblemático e importante.

     Com um discurso eloquente, Capanema relatou a experiência dele acumulada nos 50 anos em que participou de congressos e eventos. “Mais de 50 anos, participando de congressos e eventos, ensinaram-me que o último palestrante, ou quem encerra, é recebido pela plateia com uma grande simpatia porque ela tem o alívio de saber que o sacrifício está chegando ao fim”, relatou Mota.

     Em seguida, pontua: “Outra observação é a inteligência dos organizadores. Por que certamente me escolheram para encerrar o congresso? Porque o tema central deste congresso é o futuro do Direito Imobiliário. Só se falou em coisas novas como condomínios de lotes, regularização urbana e isso é o futuro. E sobre o futuro eu tenho muito pouco a falar”, continua relatando o advogado Caio César Mota.

     De acordo com Mota, Capanema falava como muita efervescência aos 80 anos e sobre esperança em relação ao futuro e ao passado do Direito Imobiliário. “Quero dizer que eu não quero chegar lá, tenho meus pecados, mas quando chegar lá ou lá, que não fui um mero espectador do processo de mudança do Brasil, quero dizer que fui um agente e a única maneira que me resta de ser um agente dessa mudança é essa, falar aos jovens, apelar para que cumpramos o nosso dever moral e social de lutar permanentemente pelo resgate ético da sociedade brasileira”, finaliza o advogado Caio César Mota.

Condominial News

Saiba mais…

     O Capacitar Condominial, inicia o curso no dia 14/06/2021 e reúne o melhor time de professores do ensino Condominial do Brasil. Um seleto time de especialistas que vivem na prática o que ensinam.

     Com essa iniciativa nasce uma Escola Especializada na Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Síndicos e funcionários de condomínio no Brasil, a direção do Capacitar Condominial aposta na estratégia metodológica com foco nas reais necessidades do mercado condominial, trabalhando o desenvolvimento profissional e pessoal do aluno, e o curso é Multidisciplinar será disponibilizado de forma vídeo presencial ao vivo,  o programa oferece material didático, exercícios práticos, avaliação do aprendizado e o acompanhamento de contínuidade no apoio ao aluno.

     O Programa Multidisciplinar "Capacitar Condominial", tem como objetivo formar uma nova geração de profissionais de condomínio em áreas como Gestão, Gerência, Zelador, Porteiro e Agentes de Serviços Gerais.

     Para ingressar em qualquer um dos cursos basta ter disponibilidade, bons antecedentes, possuir CPF, conta de e-mail válida e criar perfil no website: www.condominialnews.com.br

     Dúvidas?E para mais informaçoes entre em contato: 62 3594-1790. WhatsApp: 62 98346-6965 / 62 99141-1003. E-mail: escolacondominial@gmail.com

Capacitar Condominial

Saiba mais…

     Por constatar que há vasta área para caminhadas ao ar livre, com possibilidade de não se aglomerar, a 2ª Vara da Fazenda Pública de São Bernardo do Campo (SP) concedeu liminar para determinar a abertura das áreas comuns de um condomínio.

     Na decisão, a juíza Ida Inês Del Cid levou em conta a saúde física e mental dos condôminos  “tão prejudicadas peloconfinamento” devido aos cuidados dedistanciamento social em meio à crise Covid-19. 

     Representado pelo escritório Gonçalves, Basse & Benetti Advogados,condomínio argumentava que o Decreto Municipal nº 21.536/2021 seria inconstitucional, pois desrespeitaria o direito de propriedade ao proibir o uso de area comum , como churrasqueira, piscina e área  de passeio.

    Apesar disso, a magistrada entendeu que a norma seria legítima: “Para salvaguardar a propagação do vírus que tem poder de matar as pessoas, visa-se protegê-las, para que não aglomerem em áreas comuns, certo que o direito de propriedade, por tais razões, e como quaisquer outros direitos, não é absoluto”. A ordem foi concedida especificamente com base em fotografias do condomínio.

    Clique aqui para ler a decisão
     1008802-92.2021.8.26.0564

 Fonte: ConJur

Condominial News 

Saiba mais…

     A piscina do primeiro andar do edifício Parador, no bairro Praia de Itaparica, em Vila Velha, desabou sobre a garagem do prédio na noite desta quinta-feira (22), por volta de 21 horas. 

     De acordo com Belenda, coordenador adjunto da Defesa Civil de Vila Velha, há aproximadamente 270 moradores no prédio. Eles foram levados para um hotel por questão de segurança. 

     "Estamos fazendo uma verificação do que aconteceu. Não observamos nada além da laje da piscina que cedeu. Ela fica no 1º andar, e existem outros pavimentos com garagem. Não teve nenhum carro esmagado. A primeira avaliação agora é a evacuação do prédio por questão de segurança. Os moradores pegaram seus pertences e foram levados para um hotel disponibilizado pela construtora". 

Além disso, segundo Belenda, nesta sexta-feira (23), haverá uma fiscalização minuciosa no edifício. 

     "Até as 12h/13 horas vamos nos reunir com outros engenheiros da Defesa Civil do município de Vila Velha e com os da Defesa Civil Estadual, além dos engenheiros da empresa da construção. Será realizada uma força-tarefa para poder percorrer todas essas áreas, e juntos, faremos uma fiscalização com a planta do edifício em mãos. Iremos em todos os pontos-chaves para que haja a certeza de que está tudo em boas condições."

     Os trabalhos vão continuar durante a noite desta quinta. 

     "No período da noite será feito um sistema de escoramento, que com certeza é uma técnica que será útil para a recuperação do problema. Depois temos que aguardar o desdobramento dessa inspeção, e enquanto fazemos isso, medidas para sustentar a laje já estão sendo tomadas". 

     De acordo com o coordenador adjunto, o cheiro de gás que os moradores disseram sentir é pelo fato da piscina ter uma interligação com gás, já que era aquecida. 

     "Pelo fato da piscina ser aquecida, a estrutura está interligada com o gás. Após o cedimento, a empresa veio junto com o síndico e o gás foi fechado. Não há risco. Agora não tem muito o que fazer, é só seguir a inspeção e as causas do cedimento só serão concluídas após o laudo. Tudo o que for dito agora, é mera cogitação".  

     De acordo com informações da equipe de reportagem da TV Vitória/RecordTV, que esteve no local, moradores contaram que ouviram um barulho e chegaram a pensar que era uma trovoada. Eles sentiram um cheiro forte do gás em seguida e descobriram que a piscina havia desabado na garagem do térreo. Ainda de acordo com moradores, em 2021, a piscina ficou interditada por três meses devido a vazamentos.

     Os moradores precisaram desocupar os apartamentos e deixaram o local. De acordo com informações da Argo, construtora responsável pelo prédio, ninguém ficou ferido. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estão no local. 

     A rua da praia em frente ao edifício precisou ser interditada.

     Por nota, a Argo, construtora responsável pelo edifício, destacou que está prestando a assistência necessária às famílias do prédio, além de colaborar com a autoridades e órgãos competentes para apurar as causas. 

     Vistoria 

     O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) realizará na manhã desta sexta-feira (24), às 7 horas, vistorias técnica e fiscal no Edifício Parado.

     Equipes de fiscais e especialistas do Conselho estarão no local para analisar a situação, buscar identificar as possíveis causas do acidente, verificar registros de projetos e de responsabilidade técnica. A previsão é de que o trabalho dos engenheiros especialistas do Conselho prossiga durante todo o dia.

     A instituição continua na sua missão educativa, orientativa e punitiva alertando para que obras e serviços de Engenharia, Agronomia e Geociências sejam realizados por empresas e profissionais legalmente habilitados.

     Edifício Parador

     O empreendimento considerado de luxo, tem mais de 30 opções de lazer incluindo playground, praça das mães, lan house, brinquedoteca, salão de jogos, babylândia, boteco, churrasqueiras, espaço gourmet, desck/solaium infantil, piscina infantil, quadra esportiva, espaço mulher, sala de massagem, hidromassagem, SPA, sauna, terraço gourmet, piscina com raia, salão de festas, fitness, car wash, e beach point. 
Fonte: Folha Vitória
 
Condominial News
Saiba mais…

     A Câmara Legislativa (CLDF) analisa um projeto de lei para impedir a proibição de animais domésticos em condomínios no Distrito Federal. Caso seja aprovada, a nova legislação também garante a circulação de pets nas áreas comuns, como quadras e elevadores.

     O Projeto de Lei 841 de 2019 é de autoria do deputado distrital Daniel Donizet (PL). Segundo o parlamentar, apesar de sucessivas decisões judiciais assegurando a permanência dos animais nesses espaços, casos de tentativa de proibição ainda ocorrem.

     “Através das assembleias de condomínio, o síndico tem autonomia de proibir a pessoa de ter pets”, afirmou. Segundo o texto, qualquer tentativa nesse sentido será punida com multa de R$ 5 mil.

     “Muitas pessoas relatam grande dificuldade em morar ou alugar um apartamento por estarem proibidas de ter pets”, contou. A proposição sugere ao tutor o cumprimento de regras de segurança e limpeza. O cachorro ou gato não poderá sujar o condomínio. Ou seja, nada de xixi e fezes precisam ser recolhidas pelo responsável imediatamente.

     Para Donizet, os condôminos têm o livre arbítrio para possuir ou não um animal de estimação. Na avaliação do parlamentar, a proposta é bem vista pelos demais distritais e tem chances concretas para aprovação em plenário, Mesmo com o aval da CLDF, o texto precisa da sanção do governador Ibaneis Rocha (MDB).

     Do ponto de vista de advogado José da Silva Moura Neto, membro da Comissão de Direito Animal de Taguatinga, da secional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), a proposta é bem-vinda. “Precisa desse tipo de lei para inibir abusos”, alertou.

     Segundo Moura, os abusos são vistos em todo DF. Por exemplo, uma condômina de idade avançada foi proibida de usar o elevador para transportar o cãozinho de estimação. A idosa tinha problemas de locomoção e foi forçada a usar as escadas para transitar com o pet.

     Após uma briga na Justiça, ela ganhou o direito de entrar no elevador com o bicho. A decisão foi da juíza Gabriela Jardon Guimarães de Faria. Para Moura, a proibição foi equivocada. “Essa senhora foi obrigada a contratar um advogada e pagar R$ 10 mil para garantir a liminar e ela usar o elevador. É absurdo”, desabafou.

      Do ponto de vista de advogado José da Silva Moura Neto, membro da Comissão de Direito Animal de Taguatinga, da secional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), a proposta é bem-vinda. “Precisa desse tipo de lei para inibir abusos”, alertou.

     Segundo Moura, os abusos são vistos em todo DF. Por exemplo, uma condômina de idade avançada foi proibida de usar o elevador para transportar o cãozinho de estimação. A idosa tinha problemas de locomoção e foi forçada a usar as escadas para transitar com o pet.

     Após uma briga na Justiça, ela ganhou o direito de entrar no elevador com o bicho. A decisão foi da juíza Gabriela Jardon Guimarães de Faria. Para Moura, a proibição foi equivocada. “Essa senhora foi obrigada a contratar um advogada e pagar R$ 10 mil para garantir a liminar e ela usar o elevador. É absurdo”, desabafou.

     É proibido proibir

     Pela perspectiva do presidente da seccional local da Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios (Abrassp), Paulo Roberto Melo, a proposta de regulamentação dos pets é bem-vinda, mas há possibilidade de questionamento quanto à constitucionalidade, pois, no entendomento dele, a iniciativa deveria vir do Congresso Nacional.

     “Porém, quanto mais leis forem aprovadas regulamentando, melhor. E se essa lei for aprovada, nós vamos cumprir”, pontuou. “É proibido proibir animais hoje nos condomínios. O animal de estimação é como se fosse um parente, um irmão, um filho”, completou.

     Vizinhos

     Segundo o presidente da Abrassp, os atritos envolvendo pets não partem dos síndicos, na maioria dos casos, mas surgem de impasses entre vizinhos. De acordo com Paulo Roberto, quando o tutor não consegue estar junto com pet em grande parte do dia, o bicho costuma chorar, fazer bagunça. O barulho acaba engatilhando conflitos.

     “É importante que o dono de um cão, de um pet, tenha consciência que precisa ter tempo para cuidar dele. Um cão é como se fosse um filho. Precisa de atenção, carinho e amor. Se você não fizer isso, vai ter conflito. Os condôminos precisam ter consciência “, explicou.

     Paulo Roberto também defende a limitação da quantidade de animais de estimação por morador. “Soubemos de uma condômina que tinha 63 gatos. O apartamento dela fedia no prédio inteiro”.

 Fonte: Metropolis

     Para saber como lidar com essa situação assista o link abaixo:

     https://youtu.be/Ca4sKaiyyL8

Condominial News

 

Saiba mais…

     A fiscalização da medida será feita por fiscais do município. O Condominial News entrou em contato com a Prefeitura de Goiânia, por e-mail para saber se a lei se aplica a condomínios e qual órgão será responsável pela fiscalização dos casos em condomínio. Porém, não obteve retorno até o presente momento. 

     Tem gente que gosta de abusar no desperdício de água lavando carro e a calçada de casa. Abre a torneira e deixa a água jorrar à vontade, só que essa prática pode acarretar em multa de até mil reais a cada vez que o morador for notificado. É o que prevê a Lei 10.610, sancionada recentemente pelo prefeito Rogério Cruz (PRB) e que já está dando a maior repercussão. A autoria do projeto é da vereadora Sabrina Garcês (PSD), proibindo moradores que lavem calçadas e carros nas ruas, com água do sistema municipal de abastecimento.

     De acordo com a lei, a prefeitura de Goiânia está autorizada a multar os munícipes que forem flagrados lavando calçadas, ou veículos junto ao meio-fio, com água tratada. Estabelece ainda que não haverá punição aos moradores que, comprovadamente, estejam usando água de poço artesiano ou de reuso.

     Em se tratando de condomínios, a lavagem de calçada e áreas comuns é muito praticada tanto pela equipe de limpeza quanto pelas equipes das terceirizadas, que são responsáveis pela limpeza do condomínio, intensificando-se no período pandêmico. O uso racional da água é, portanto, uma preocupação da Campanha Rompendo Silêncio, que busca conscientizar os moradores sobre economia e uso sustentável deste recurso, inclusive, já houve uma programação ao vivo, transmitida pelo Condominial News Nacional, com convidados especiais, abordando esta temática.

     Acesse o link abaixo para assistir o programa na integra:

https://youtu.be/6jypijcVSxg

Condominial News

Saiba mais…

     A agressão verbal sofrida pela porteira fere gravemente os princípios e propósito da Campanha Rompendo Silêncio, que já ganhou voz em várias partes do Brasil e que tenta proteger as mulheres contra qualquer tipo de agressão, seja física, psicológica, emocional, verbal e sexual. Idealizada em Goiás e inserida no Condominial News Nacional, é a voz de quem sofre calada e quer se libertar de qualquer violência seja dentro de casa ou no trabalho, como fez a mulher ao registrar em vídeo a forma desrespeitosa e agressiva como foi tratada, por um morador, aparentemente, querendo intimidá-la e mostrando ar de superioridade.

      Esta é uma atitude que extrapola os limites da tolerância e o respeito aos trabalhadores de condomínios, registrada contra uma porteira de um prédio, no Jardim Goiás, em Goiânia. Ela sofreu injúrias e ofensas racistas por parte de um morador, que tentou entrar no condomínio sem se identificar, mas teria sido impedido. Num vídeo que circula na internet, o homem pratica ofensas ao chamar a vítima de “macaca”, “chimpanzé”, entre outras palavras caluniosas.

      A mulher relatou que o morador chegou de carro em frente ao portão da garagem e piscou os faróis, tentando entrar sem se identificar. Segundo ela, a regra no condomínio é verificar a identidade de todos que entram no local, mas que o morador não teria compreendido suas explicações e passou a xingá-la.

      Em outro momento, diz que está armado e que vai descer na portaria para resolver a situação. O caso foi parar na Polícia Civil, que está investigando, e é caracterizado como crime de injúria racial.

      Para saber mais sobre a Campanha Rompendo Silêncio e o como agir e evitar esse tipo de situação em seu condomínio assista os links abaixo:

      https://youtu.be/OjgQ6sPiyyU

      https://youtu.be/CgG6Tl7M3Ek

Condominial News 

Saiba mais…

     O programa também mostrou o resultado de uma pesquisa, realizada pelo Portal Solicite em Goiânia e Região Metropolitana, na qual 89% dos funcionários dos condomínios disseram que os empregadores não importam com o bem-estar e muito menos com a carreia profissional deles. Resultado que pegou os entrevistados de surpresa, já que defendem a capacitação como a porta de entrada para o bom gerenciamento das atividades condominiais e o crescimento profissional de colaboradores, que desejam evoluir para outras funções dentro do condomínio. 

     Uma das bandeiras mais defendidas por especialistas do mundo condominial é a de que o síndico precisa se preparar para o mercado, buscando uma capacitação ou especialização. Os funcionários dos condomínios também devem se atentar às constantes mudanças que ocorrem nesta área e se prepararem para o bom desempenho de suas funções. O Condominial News Nacional aproveitou a deixa e debateu este assunto com o especialista em Contabilidade Condominial, Eduardo Bessa, e o Advogado, especialista em Direito Condominial, Caio César Mota. 

     Mediante aos avanços tecnológicos e todas transformações que o mundo vem passando, as relações de trabalho mudaram e vale a máxima quanto mais conhecimento melhor. Além disso, o mundo vive uma crise de saúde pública sem precedência, o que impacta diretamente dentro dos condomínios, no que diz respeito ao aumento do número de conflitos entre moradores.

     Eduardo Bessa considera relevante a proposta do síndico buscar a profissionalização, lembrando que no passado este profissional estava associado à figura de um aposentado, que passava o dia todo no condomínio e era quem assumia a sindicatura praticamente com a função de pagar as contas.  O especialista ressalta que as questões legais mudaram bastante, por isso o síndico tem que ter uma noção ampla de gestão, por responder civil e criminalmente por suas ações. “Precisa ter conhecimento de administração para que consiga tomar todas decisões, com embasamento legal para fazer um bom trabalho para os moradores”, alerta.

     Ele compreende que o síndico, mesmo tendo outra profissão, precisa ser capacitado, buscar cursos como o próprio Capacitar Condominial para que tenha noção do mercado e a função administrativa que está assumindo.

     O advogado Caio Cesar é a favor de uma gestão profissional em que o síndico tenha noção de todas as áreas, que o condomínio está vinculado, como administração, economia, engenharia, complice. Diante da atual realidade deve conhecer um pouco sobre mediação de conflitos, pois os condomínios são dotados destes problemas, de forma recorrente, entre vizinhos.  “Estamos vivendo um grande momento de agitação dentro dos condomínios, com este isolamento social que se arrasta há mais de um ano, ora com mais intensidade, ou menos intensidade, faz com que as pessoas estejam mais reclusas em seus lares”, ressaltou, complementando que os números de obras cresceram na pandemia, também são fatores de desavenças.

     Em relação à profissionalização dos síndicos e colaboradores, cita o Capacitar Condominial que possibilitará o síndico adquirir conhecimento com especialistas renomados. “Existem bons cursos e o Capacitar sem sombra de dúvidas é um deles, pois reúne grandes profissionais experimentados no segmento condominial para discorrerem sobre as principais situações e necessidades dentro de um condomínio”, afirma.

     Ele pontua que há no mercado cursos de especialização Latu Sensu, MBA, entre outros os quais os profissionais podem fazer suas escolhas. Defende o incentivo e a valorização do Plano de Carreira dentro dos condomínios, para que possa permitir colaboradores a crescerem na carreira e trabalharem mais motivados. Pensamento este também defendido por Eduardo Bessa pela compreensão que os funcionários podem evoluir e alcançarem outros postos de trabalho dentro dos condomínios.

     Assista ao programa na íntegra acessando o link: https://www.youtube.com/watch?v=9ELqtgi7KOg&t=2299s

Condominial News

Saiba mais…

     O Governo de Goiás publicou no final da tarde desta terça-feira, 13/04, Decreto Estadual de Nº 9.848, que entra em vigor a partir desta quarta-feira, 14/04, estabelecendo novas regras para o funcionamento das atividades econômicas essenciais e não essenciais como forma de frear a disseminação do Coronavírus e diminuir o número de óbitos e internações. Cada município poderá impor restrições ou flexibilizar as existentes, segundo informou o Governo, que manteve diálogo com prefeitos e representantes de entidades comerciais antes da publicação.

     O decreto mantém suspensos eventos púbicos e privados de qualquer natureza, sendo eles presenciais, inclusive as reuniões.  Esta regra é aplicável aos condomínios que até então possuem a recomendação para realizarem assembleias ou reuniões, de forma virtual, para deliberarem pautas de interesse coletivo. Segundo a publicação, também está suspenso o uso de espaços comuns que possam promover aglomerações em condomínios horizontais e verticais, tais como: churrasqueiras, piscinas, salões de jogos e festas, espaços de uso infantil, salas de cinema e demais equipamentos sociais.

     Quanto às academias e quadras poliesportivas elas podem funcionar com até 30% de capacidade, das 6 às 22 horas. As obras podem ser executadas de segunda à sexta-feira, seguindo o Regulamento Interno do Condomínio.

     Os condomínios devem primar pela saúde dos moradores e trabalhadores, de olho nestas recomendações e também adotando medidas de segurança e higienização a exemplo do uso de máscaras, álcool em gel e mantendo o distanciamento social. Devem desinfectar com álcool 70%, várias vezes ao dia, locais frequentemente tocados como: maçanetas, interruptores, janelas, corrimões, elevadores, entre outras ferramentas.

Condominial News

Saiba mais…

Loteamento e Cidades

     Muito embora o cenário econômico apresente sinais claros de recessão, parte do setor imobiliário, mais precisamente o de loteamento, vem se mostrando na contramão deste contexto. Mesmo sem dados de comportamento consolidados, as movimentações de mercado e os resultados das empresas confirmam o bom momento, ainda que com a restrita atuação das instituições financeiras. Restando às empresas, financiarem seus produtos com recursos próprios.

     Justifica a regularidade do negócio, além do preço e as facilidades na aquisição, também o fato de que o comprador pode construir o imóvel dentro das características que melhor lhe atenda e conforme sua capacidade orçamentária. Mas e as cidades? Por outra ótica, as cidades também ganham, pois seu crescimento, implica, via de regra, na chegada de recursos e serviços de infraestrutura, vez que: aquece o comércio, exige aumento de vagas nas escolas, maior número de agências bancárias, lojas, postos de combustíveis e uma infinidade de negócios e atendimento à população que, agrupados, representam emprego e naturalmente, o fortalecimento da economia.

     Esta expansão traz o que os sociólogos chamam de movimentação econômica. Para eles, representam oportunidades de negócios para proprietários de áreas que valorizaram, além do que, cedem espaços para novas possibilidades, como prédios corporativos, galpões e sítios que se transformam em investimentos ainda mais rentáveis. Assim, áreas que normalmente estariam ociosas ou desocupadas são revitalizadas.

     No entanto, como em todo negócio, salutar que o cidadão observe algumas situações, neste caso, especialmente a ocorrência de eventuais irregularidades técnica ou jurídica. Neste sentido, o Instituto de Registro Imobiliário no Brasil (IRIB), esclarece que o loteamento é considerado tecnicamente irregular se: a) executado sem aprovação da prefeitura municipal; b) executado com aprovação da prefeitura municipal, mas em desacordo com o projeto; e c) executado de acordo com o projeto aprovado, mas sem obediência ao cronograma de obras. Já do ponto de vista jurídico, o loteamento pode ser considerado irregular se: a) não tiver sido inscrito (antes de 1976) ou registrado (depois de 1976) no registro de imóveis e houver venda a prazo ou com oferta pública; e b) não tiver sido registrado, para qualquer tipo de venda, a partir da vigência da lei 6.766/79.

     Sendo o empreendimento regular, certamente as cidades revelarão a médio-longo prazo uma maior e mais harmônica organização, ainda que a gestão municipal se apresente omissa ou ineficiente.

     O mercado imobiliário vibra com essa conquista em tempos de crise e espera que projetos sociais, educacionais, de saúde, segurança estejam sempre caminhando com o progresso. Só assim, cidades bem planejadas continuarão crescendo e gerando riquezas.

                                        Por Dr. Caio Cesar Pereira da Mota Oliveira – Presidente da Comissão Especial Direito Condominial OAB/GO Colunista do Momento Jurídico do Condominial News.

 

Saiba mais…

A Pandemia Impacta Edifícios Residenciais  

 

     O Condominial News já trouxe para o Debate Condominial especialistas que falaram sobre conflitos nos condomínios e como administrá-los, tema este que merece atenção quanto aos efeitos da pandemia da Covid-19 nos edifícios residenciais. É claro que, segundo os especialistas, os desdobramentos são muitos, entre eles, o de ordem social e a saúde dos moradores. Ficar em casa trouxe uma série de consequências, a exemplo da edificação super lotada, do barulho provocado pelas pessoas devido ao isolamento social que precisa ser muito bem administrado dentro dos condomínios.

     Em tempos de pandemia, tudo pode irritar o outro, o barulho da TV, uma reforma, pessoas conversando ou qualquer ruído. De acordo com síndicos, os conflitos aumentaram neste um ano, relacionados à perturbação do sossego alheio.

     O papel do síndico neste contexto é muito importante, já que precisa estabelecer regras de convivência e promover conscientização a fim de que todos possam ter segurança, mantendo o distanciamento social e o bom relacionamento. O desafio vai mais além, é preciso adotar todas medidas de prevenção, como uso de máscara, álcool em gel e higienização dos espaços de acesso dos moradores para evitar a proliferação do Corona vírus.

     As áreas comuns exigem cuidados específicos e restrições, é o que prevê o Decreto 2.095 da Prefeitura de Goiânia, com validade até esta terça-feira, 13 de abril, proibindo o uso de alguns espaços e limitando o acesso de outros.  Pelo Decreto Municipal, as assembleias presenciais estão vedadas, podendo ser realizadas apenas virtualmente. Também está proibido o uso do salão de festas, as brinquedotecas, dentre outros. As academias estão liberadas desde que respeitem o limite de acomodação de 30%, assim como as piscinas. Quem descumprir as regras pode ser multado e a multa pode chegar até 4,9 mil reais.

     Por falar em regras, este é outro grande problema dentro dos condomínios, pois muitas pessoas não respeitam as recomendações repassadas pelos síndicos e gestores condominiais. Há uma cartilha elaborada pelo SecoviGoiás junto com a Superintendência de Vigilância em Saúde e apoio da Fecomércio-GO, que traz informações importantes para os condomínios, síndicos e gestores para o enfrentamento da Covid-19. No link https://drive.google.com/file/d/1dHaqXtGzboTADUvcakVAPC-Xhcw3SMjH/view, todos profissionais da linha de frente dos condomínios e interessados em geral podem baixar o arquivo para lê e se informar melhor.

     Acompanhe também o debate Condominial: https://youtu.be/peqoVfzt0LQ

Redação Condominial News

Saiba mais…

      Esta é uma iniciativa do Condominial News e conta com a participação de representantes do Grupo de Zeladores (AZEPASGGO) e especialistas da Gestão Condominial.

      Vários profissionais já se colocaram a favor da vacinação antecipada  para a categoria, considerada linha de frente dos condomínios. Mário Antônio Sobrinho agradece ao Condominial por encabeçar a campanha, ressaltando a importância da vacina para que possam desenvolver suas atividades com mais tranquilidade.

      “Estamos na linha de frente do condomínio, portanto para que possamos desempenhar e ter tranquilidade de ir para casa e voltar bem, precisamos nos vacinar”, diz.

      Brisia Patrocínio também é a favor da campanha. “Temos contato o tempo todo com prestadores que rodam a cidade, moradores e visitantes. Trabalhamos apreensivos com a situação”, manifesta-se.

      O tema em questão será reforçado durante o Programa Condominial News Nacional nesta quinta-feira 01/04, às 20:00 horas, com a opinião de especialistas do universo condominial. Toda semana, nesse mesmo horário, é colocado em debate um novo assunto sempre pautado com a melhor informação e conteúdo.

      Para registrar seu voto se é a favor da Campanha de Imunização Contra a Covid-19, intitulada Vacina Já, acesse:
https://condominialnews.com.br/polls/insercao-de-zeladores-porteiros-e-agentes-de-limpeza-como-grupo-p?xg_sougrurce=whatsapp

      Para saber tudo sobre o universo condominial se cadastre no nosso canal: youtube.com/c/CondominialNews

Condominial News

Saiba mais…